O uso sinérgico de ImmunoWall®e Hilyses®

Releases, Suínos

Ingredientes básicos e suplementos alimentares tais como a levedura Saccharomyces cerevisiae, podem ter propriedades funcionais na dieta e apresentarem resultados satisfatórios quando adicionados à ração como células ativas, células inativas (autolisadas ou hidrolisadas) ou como componentes de parede celular.

É conhecido que, mais importante que a cepa de levedura, é o ambiente de fermentação que proporcionará de fato, as diferenças fundamentais na composição final do produto. As cepas utilizadas no processamento de cana de açúcar para obtenção do etanol resultarão em um produto com maior concentração de β-glucanas. A cultura de levedura passa por inúmeros ciclos de fermentação, o que torna a parede celular mais densa, resultando em taxas mais elevadas de carboidratos e menor teor de gordura em sua composição, tornando-a menos digestível no trato gastrintestinal.

Com as restrições impostas pelas normativas no Brasil e exterior, assim como, a exigência do mercado consumidor por produtos naturais e saudáveis na alimentação animal, várias alternativas vem sendo testadas e utilizadas na indústria animal. No entanto muitos são os fatores considerados pelos produtores para obterem o melhor custo-benefício, como por exemplo, a ação desses compostos no metabolismo animal.

No mercado encontramos aditivos naturais capazes de fornecer compostos que estimulam o organismo a responder com mais eficiência diante os estímulos estressantes impostos pelo campo. Entre as opções disponíveis, ImmunoWall® e Hilyses® se destacam por serem produtos à base de levedura Saccharomyces cerevisiae, naturais e sem restrições de uso para todas as espécies animais.

ImmunoWall®

IMW

ImmunoWall® é composto pela parede celular de Saccharomyces cerevisiae, e contém uma alta concentração de β-glucanas (> 35%) e mananoligossacarídeos, MOS (~ 20%). Devido às condições de processamento pelo qual as células são submetidas, a parede se torna mais densa em relação às demais paredes celulares de levedura presentes no mercado. Esta estrutura da parede celular da levedura é resistente à degradação das enzimas e bactérias do aparelho digestivo, e sua resistência à digestão no trato gastrointestinal e à fermentação no intestino grosso é um dos principais critérios para sua utilização como prebiótico. São considerados os verdadeiros colaboradores para a saúde animal, pois estimulam o sistema imunológico e contribuem para a integridade da mucosa intestinal, impedem a adesão de microrganismos enteropa­togênicos, e possuem a capacidade de ligarem-se e inativarem micotoxinas no lúmen intestinal.

O mananoligossacarídeo (MOS) é conhecido por sua capacidade de aglutinar patógenos. Ao oferecer um local de ligação a bactérias nocivas presentes no trato intestinal que possuem fímbrias tipo 1 e 4, o MOS impede a colonização de patógenos no intestino. Uma vez que as β-glucanas não são digeridas, as bactérias “presas” são excretadas com o material fecal. É importante destacar que, para alcançar sua funcionalidade completa, as paredes celulares de levedura devem possuir baixa digestibilidade no intestino. As β-glucanas constituem a porção indigestível da parede celular da levedura, de modo que quanto maior sua concentração, menor a digestibilidade da parede celular da levedura.

As β-glucanas são consideradas imunomodularas que melhoram a eficiência e rapidez de resposta imune dos animais. Estes polissacarídeos são estimulantes naturais e eficazes do sistema imune inato, de modo que as células fagocíticas, quando em contato com as β-glucanas, são estimuladas, produzindo citocinas. A produção de citocinas provoca uma “reação em cadeia”, melhorando a imunidade dos animais e permitindo o combate de infecções oportunistas. Uma dessas reações do sistema imunológico é o aumento do número de células caliciformes, responsáveis pela produção de muco. Com o aumento da produção e liberação de muco no lúmen intestinal, a mucosa (barreira de proteção das vilosidades e o meio que permite a ação de várias enzimas) aumenta, proporcionando maior proteção para as células intestinais e vilosidades.

Hilyses®

A suplementação de nucleotídeos via dieta, tem sido estudada em diversas espécies, e embora não sejam HYconsiderados nutrientes essenciais, estes aditivos tem um papel importante em diversos processos metabólicos e, em especial, em alguns tecidos do organismo e fases da vida animal onde há uma demanda de energia muito grande devido á alta multiplicação celular.

Os nucleotídeos e nucleosídeos livres podem ser imediatamente absorvidos pelos enterócitos no intestino, sendo especialmente importantes para os tecidos de rápida multiplicação celular e limitada capacidade de síntese pela via de novo (principal via de produção de nucleotídeos), como as células do epitélio intestinal, células sanguíneas, hepatócitos e células do sistema imune. E isto ocorre especialmente em animais em fases de crescimento rápido (fases iniciais), reprodução, estresse e desafios.

Hilyses® é uma ótima opção natural de fonte exógena de nucleotídeos e nucleosídeos livres, obtido através do processamento da levedura Saccharomyces cerevisiae utilizada na fermentação da cana de açúcar para obtenção de etanol. O processo consiste na autólise da célula (ruptura da membrana celular), onde há o extravasamento do conteúdo intracelular, e após este processo, algumas enzimas específicas são inseridas para a hidrólise (“quebra”) do RNA em nucleotídeos e nucleosídeos (que formam as bases nitrogenadas da estrutura). Este produto final é altamente digestível, pois contém aminoácidos, peptídeos e polipeptídeos de cadeia curta e glutamina, sendo altamente recomendável para nutrição animal. Também há presença de mananoligossacarídeos (MOS, que é uma ferramenta efetiva contra a Salmonella e E. coli.) e altos níveis de β-glucanas (imunomoduladoras que estimulam o sistema imune inato a uma resposta mais rápida e efetiva).

Suplementar as dietas com aditivos naturais que proporcionem um suporte para que os animais respondam com melhor eficiência aos desafios impostos pelo campo, é algo essencial aos sistemas de criações. ImmunoWall® e Hilyses® atuam como agentes profiláticos, aumentando a resistência dos animais, minimizando contaminações e altas taxas de mortalidade, e melhorando o ganho de peso e saúde, uma vez que em ambientes altamente desafiadores, como na produção animal intensiva, fortalecer o sistema imunológico é crucial para maiores ganhos de produtividade.

Indicação sinérgica do ImmunoWall® e Hilyses®

Frangos de Corte

É indicado o uso de Hilyses® na dieta pré-inicial, seguido do ImmunoWall® até o abate.

Poedeiras

Hilyses® é indicado nas primeiras 3 até o período de pré-postura. Durante o período de postura é indicado o uso de ImmunoWall®.

Matrizes Pesadas

Hilyses® é indicado nas primeiras 3 semanas até o período de pré-postura. Já durante o período de postura, se o objetivo for buscar melhorias em produção de ovos e parâmetros de incubação, melhorias em qualidade de pintinho e redução de mortalidade na primeira semana (efeito na progênie) indicamos o uso de Hilyses®. No entanto, se apenas se busca melhorias em respostas de sistema imune e controle de patógenos indicamos o uso do ImmunoWall®.

Leitões

Indicamos o uso do Hilyses® na fase de creche como ingrediente funcional, buscando reforço de sistema imune, controle de patógenos, redução de mortalidade e foco em crescimento. Nesta mesma fase é possível incluir Hilyses® como ingrediente fonte de proteína e aminoácidos, formulando na dieta e substituindo uma fonte proteica. Durante a fase de crescimento e terminação indicamos o uso do ImmunoWall®, para o controle de patógenos e reforço imunológico frente aos desafios.

Porcas

Indicamos o uso do Hilyses® durante gestação e lactação – buscando transferência de benefícios para os leitões (imunidade passiva, nutrientes, nucleotídeos) – principalmente redução de mortalidade durante a fase de aleitamento.

Compartilhe:

Publicado em 01 November de 2019