ImmunoWall®: Promove a Saúde Animal e a Segurança Alimentar

Blog, Releases

Nos últimos anos, várias alternativas aos antibióticos foram testadas e usadas comercialmente na indústria animal. Entretanto, vários fatores relacionados ao metabolismo animal devem ser considerados para se obter o melhor custo-benefício de uma alternativa. Entre as opções disponíveis, ImmunoWall® se destaca por ser um produto à base de parede celular de levedura consideravelmente mais espessa e com alta concentração de β-glucanas (> 35%) e mananoligossacarídeos, MOS (~ 20%).

O mananoligossacarídeo é conhecido por sua capacidade de aglutinar patógenos. Ao oferecer um local de ligação a bactérias nocivas presentes no trato intestinal que possuem fímbrias tipo 1, o MOS impede a colonização de patógenos no intestino. Uma vez que as β-glucanas não são digeridas, as bactérias “presas” são excretadas com o material fecal. É importante destacar que, para alcançar sua funcionalidade completa, as paredes celulares de levedura devem possuir baixa digestibilidade no intestino. As β-glucanas são a porção não digerível da parede celular da levedura, de modo que quanto maior sua concentração, menor a digestibilidade da parede celular da levedura, tornando o ImmunoWall® uma solução única no mercado.

Contaminação por patógenos, como Salmonella e Escherichia coli, é uma realidade na produção animal. Além da saúde animal e das perdas econômicas, uma grande preocupação é a possível transmissão de patógenos ao consumidor por meio de produtos contaminados, como carne ou ovo. Assim, um programa eficaz de controle de patógenos para garantir a segurança alimentar é essencial. Nesse contexto, ImmunoWall® demonstrou alta capacidade de aglutinar patógenos, reduzindo significativamente sua presença em carne e ovos.

As β-glucanas presentes no ImmunoWall também são capazes de modular a resposta imunitária dos animais. Estes polissacarídeos são estimulantes naturais e eficazes do sistema imune inato, de modo que as células fagocíticas, quando em contato com as β-glucanas, são estimuladas, produzindo citocinas. A produção de citocinas provoca uma “reação em cadeia”, melhorando a imunidade dos animais e permitindo o combate de infecções oportunistas. Uma dessas reações do sistema imunológico é o aumento do número de células caliciformes, responsáveis pela produção de muco. Com o aumento da produção e liberação de muco no lúmen intestinal, a mucosa (barreira de proteção das vilosidades e o meio que permite a ação de várias enzimas) aumenta, proporcionando maior proteção para as células intestinais e vilosidades.

Esta resposta imune é especialmente significativa em animais em fase reprodutiva, fases iniciais de crescimento, sob estresse ou em ambientes desafiadores (como uma ninhada infectada). ImmunoWall® atua como agente profilático, aumentando a resistência dos animais, minimizando quedas de desempenho e altas taxas de mortalidade, uma vez que em ambientes altamente desafiadores, como na produção animal intensiva, fortalecer o sistema imunológico é crucial para maiores ganhos de produtividade.

Vários estudos foram realizados para comprovar os benefícios de ImmunoWall® na saúde intestinal e animal. Uma pesquisa conduzida por Alcantara et al. (2015a, b), com leitões pós-desmame infectados com E. coli, demonstrou que o grupo suplementado com ImmunoWall® apresentou redução na frequência de diarreia e nas contagens de E. coli jejunal e fecal, além de melhora na integridade intestinal após 14 dias do desafio (Tabela 2).

Parâmetro

Período Basal Dia 7 Dia 14
Controle IMW Controle IMW
Espessura da mucosa 15,231 15,421a 13,981a 13,821a 16,061a
Profundidade da cripta 5,141 7,192a 7,022b 6,962b 7,472a
Comprimento da vilosidade 9,921 7,842a 6,602b 6,632b 6,772a
Largura da vilosidade 2,071 3,562a 3,222a 3,062a 3,592a
Área de superfície 87,601 95,101a 71,241b 69,961b 81,131a
* E. coli foi inoculada (9,8 x 108 UFC/mL) no primeiro dia do experimento. ** Valores com letras diferentes são significativamente diferentes no nível de confiança de 95%. 1, 2 – significância comparado ao tempo de abate e ao período basal. a, b – significância comparada entre os tratamentos em cada dia de abate.

Leitões suplementados com ImmunoWall® tiveram aumento significativo (P <0,05) na espessura da mucosa (16%), bem como no comprimento (7,3%), largura (2,1%) e área de superfície (16%) da vilosidade quando comparados aos leitões do grupo controle. Também foram obtidas imagens a partir de um Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV) das seções intestinais dos leitões (Figuras 3 e 4) confirmando uma maior presença de muco e uma melhora na integridade da superfície das vilosidades nos animais suplementados com ImmunoWall®.

Figura 3

Imagens obtidas com MEV de secções intestinais demonstrando diferença entre os tratamentos 7 dias após o desafio.

 

Figura 4

Imagens obtidas com MEV de secções intestinais demonstrando diferença entre os tratamentos 14 dias após o desafio.

Com base nas imagens do MEV, o grupo que recebeu ImmunoWall® pareceu ter menos erosão nos ápices das vilosidades e uma melhor superfície de microvilosidades comparado ao grupo controle 7 e 14 dias após o desafio. Também foram observadas algumas bactérias em forma de bastonete presas à superfície. Isso confirma a diminuição na contagem de E. coli no jejuno (-33%) e nas fezes (-66%).

A preocupação com a qualidade dos ingredientes e aditivos utilizados na alimentação animal é uma tendência global e irreversível, considerando que o consumidor final está cada vez mais consciente da relação entre nutrição e saúde. ImmunoWall®, além de ser um ingrediente natural, é uma solução de eficácia comprovada, administrada em doses baixas, e que promove saúde intestinal e a segurança alimentar, proporcionando um ótimo custo-benefício.

Publicado em 31 July de 2019